A era dos assistants

É fato que a tecnologia está se multiplicando, alcançando novos segmentos e desbravando novas áreas. A chamada “internet das coisas” é um passo muito importante nesse desenvolvimento, que tem auxiliado muito de perto a automação de imóveis. A edição deste ano da CES (ou Consumer Electronics Show), uma feira que mostra o que há de novo e dita as tendências do mercado eletrônico no mundo, apresentou geladeiras, fogões e outros eletrodomésticos que já estão sendo produzidos com a possibilidade de interação com o usuário. A maioria desses são interligados por meio de uma inteligência artificial que já está disponível no mercado exatamente para integrar toda a casa ou comércio e servir ao dono. São os assistants.



A iniciativa pioneira da Amazon com o Amazon Echo, o primeiro assistant de peso no mercado, revolucionou a automação residencial (lembrando sempre que pode servir à comercial também), trazendo um assistente para toda e qualquer tarefa do dia a dia. Basta ter uma dúvida que o usuário poderia perguntar em voz alta à Alexa, a assistente do Echo, qual a resposta e logo ela responderia diretamente a seu proprietário. Os assistants também conectam toda o imóvel por meio da internet. Se o dono de uma padaria, por exemplo, solicita à Alexa que apague as luzes da cozinha e trave a porta da frente, assim ela o fará. Com o advento dos fogões inteligentes apresentados na CES, no entanto, fica ainda mais fácil que este mesmo padeiro peça a Alexa que asse alguns pães (uma vez que a inteligência artificial já poderá buscar sozinha na internet o tempo e a temperatura necessários para fazer da forma correta, e o controle por meio de sensores de fumaça e temperatura impedem que algo dê errado, como vazamento de gás ou incêndio). Assim, um padeiro que acorde às 4 horas da madrugada já chegaria a sua padaria apenas para retirar o pão pronto do forno e atender os clientes.

Após o sucesso do Amazon Echo, a gigante Google lançou seu Google Home e, com dois anos de atraso, a Apple finalmente lançou seu HomePod. As empresas já entenderam a importância dessas inteligências artificiais, tanto as que as produzem quando as que podem criar aparelhos integrados a essas. Por isso o sucesso dos eletrodomésticos inteligentes na CES 2018 e tudo mais o que está surgindo. Se o relatório da Gartner (principal empresa de pesquisa e consultoria do mundo) apontou os assistants como algumas das 10 maiores tendências de tecnologia em 2017, com a chegada do HomePod eles se estabilizam como o futuro da tecnologia ao alcance de todos. Hoje é possível comandar 90% dos aparelhos e dispositivos de uma casa ou empresa por meio da voz. Logo no início de 2018, o Google Home já podia ser equipado em 1,5 mil diferentes aparelhos para casas, empresas e comércios, enquanto o Amazon Echo já equipa 4 mil dispositivos distintos. Hoje, com certeza a capacidade de interação com diferentes eletrônicos de um imóvel cresceu exponencialmente, e não só pelo aprimoramento do aparelho, pois a grande vantagem da inteligência artificial é exatamente a capacidade de aprender novos comandos e ações de forma orgânica. Por isso, quando falamos que o mundo está cada vez mais conectado, não nos referimos mais só às pessoas, mas tudo mesmo está se conectando, entre objetos, eletrônicos, eletrodomésticos. E a era da tecnologia está apenas começando, imagine as possibilidades que estão por vir.



Botão - Negócios com Café