A Importância do foco do líder

Nestes tempos de constantes mudanças e de excesso de informações, um dos principais desafios dos líderes consiste em direcionar a atenção nas empresas que atuam. Sempre surgem questões como: o que fazer para manter as equipes antenadas e envolvidas? Como manter o foco do líder com tantas informações e distrações por todas as partes?



Diariamente, recebemos inúmeras informações e mensagens das mais diversas fontes, que se não forem bem gerenciadas, acabam por nos paralisar. São tantos conteúdos disponibilizados que a grande dificuldade é conseguir fazer um filtro para aproveitar o que é útil e relevante. Especialistas relatam até uma doença chamada Síndrome de Sobrecarga de Informações.

A atenção nas organizações, assim como ocorre nas pessoas, possui uma capacidade limitada. Deve-se escolher onde investir a atenção focando nisso enquanto ignoram aquilo. Sintomas do que pode ser chamado “transtorno do déficit de atenção” organizacional incluem tomar decisões equivocadas por falta de dados, não parar para refletir sobre decisões, ter dificuldade para obter atenção no mercado em que atua e a incapacidade de focar onde e no que importa.

Foco é capacidade fundamental

Daniel Goleman, psicólogo que ficou conhecido nos anos 90 por divulgar o conceito de inteligência emocional, defende que que a capacidade de foco é tão poderosa que deveria compor a lista de capacidades fundamentais do líder e tão difícil nos dias atuais que requer treinamento ou meditação. Segundo Goleman, os líderes que desejam ter desempenho ótimo precisam estar aptos a explorar, ao máximo e em equilíbrio, três tipos de foco. O foco interno ou da autoconsciência nos capacita a lidar com as próprias emoções. O foco empático, ou da consciência do outro, nos ajuda a lidar com as pessoas em geral. E o terceiro, o foco externo ou da consciência do ambiente, é útil para a vida e o trabalho, fazendo com que entendamos o mundo em que estamos inseridos, nossa empresa, o mercado e os sistemas que afetam sua atividade.

Ainda segundo o autor, a atenção funciona de forma semelhante a um músculo: atrofia, se não for utilizado e se desenvolve e fortalece, caso façamos exercícios. A grande dica é exercitar a capacidade de estar focado nessa era de constantes distrações. Os que conseguem se destacar em relação aos demais e alcançar o rendimento máximo nos esportes, nos estudos e nos negócios são aqueles que conseguem prestar e manter atenção naquilo que é mais importante e causa maior impacto. Nesse contexto o papel do líder da organização é fundamental, pois ele deve indicar onde a organização deve manter seu foco.

O Foco e a Liderança

A liderança em si vai depender de captar e direcionar a atenção organizacional. Liderar vai exigir o equilíbrio do foco triplo: inicialmente focar a própria atenção, depois atrair e conduzir a atenção dos outros; mantendo a atenção dos colaboradores e demais colegas da organização e finalmente, estar atento ao mercado, buscando oportunidades e entendendo as necessidades dos consumidores e clientes.

Os melhores líderes buscam desenvolver uma consciência “sistêmica”, o que os auxilia a dar orientações sobre onde a organização deve ir e como. O autodomínio e as habilidades sociais se baseiam no foco em si mesmo e no outro, combinados para produzir a inteligência emocional que move a máquina humana com energia necessária para atingir os objetivos almejados. Um bom líder precisa definir qual é a estratégia para seguir em frente com sua equipe. E uma vez delimitada a estratégia, comunica-la com habilidade, empatia e paixão. Portanto, é necessário inicialmente ter um alto nível de autoconsciência, ter genuíno interesse no outro e manter um portfólio de escolhas estratégicas disponíveis para serem utilizadas.

Na prática os líderes precisam desenvolver a capacidade para avaliar seus próprios pontos fortes e fracos, buscando uma equipe de pessoas cujos pontos fortes complementem os seus, gerenciando a si próprios e analisando o impacto que causam nos outros. Também devem construir uma forte base empática, acreditar nas forças do relacionamento, como influência e persuasão, trabalho em equipe e cooperação. Como a terceira base do foco triplo, devem investir no desenvolvimento de uma visão global, sistêmica e de mercado. O grande desafio para os líderes além de ter uma boa atuação nesses três tipos de foco, é buscar a sabedoria para encontrar o equilíbrio, usando o foco certo no momento certo.