Sempre vejo muita gente falando que as pessoas hoje em dia não leem tanto quanto antigamente. Entretanto, a realidade é completamente diferente: nunca se leu tanto na história como na atual geração. A venda de livros bate recordes ano após ano. Isso sem contar formas alternativas de informação, como blogs e sites.

Não existe falta de material de leitura em qualquer que seja o assunto que você queira. Pelo contrário, a internet gerou um excesso de documentos, já que facilita com que qualquer um escreva suas opiniões. Isso muitas vezes gera textos secos, mal escritos e – o mais agravante – sem fontes confiáveis (as “fake news”).

A sobrecarga de informação é ruim, pois passa uma ideia espúria de conhecimento. É como beber de uma mangueira de incêndio quando se está com sede. A água está lá, mas você realmente quer arriscar?

Isso acaba fazendo com que você, embora leia bastante, ao final do dia tenha agregado muito pouco conteúdo útil na sua vida.

Veja abaixo algumas dicas para você absorver melhor as informações relevantes do que você lê. Entendendo o princípio geral por trás delas, você conseguirá dobrar, ou até triplicar sua capacidade.

1 – Faça uma leitura dinâmica inicial

Não existe nada pior do que ter que ler um texto insosso, chato ou muito prolixo. A mente cansa na hora. E, se a informação for inútil então, eu simplesmente me sinto mal por ter perdido meu tempo.

Uma coisa que me ajuda a selecionar esse tipo de material e, se for o caso, captar somente a parte relevante, é fazer um escaneamento rápido inicialmente, usando técnicas de leitura dinâmica.

Ao invés de tentar ler detalhadamente, procure as headlines, os termos em destaque e palavras-chave que te interessam e leia o que está ao redor, para sentir o que te espera pela frente. Dessa forma, você terá uma boa noção se a leitura completa valerá a pena, ou não.

2 – Comece pelo fim

Frequentemente costumo começar a leitura dos textos pelos últimos parágrafos por duas razões:

A primeira é que, ao saber a conclusão do autor, terei uma ideia de como ele transcorrerá seu texto e se tenho interesse em descobrir como ele chegou a tal conclusão. Às vezes ela pode ser tão óbvia que já vejo que não preciso nem ler o que está escrito acima.

A segunda é que, se o autor foi capaz de concluir seu texto (não deixou o assunto aberto de forma vaga), e se ela foi bem escrita e estruturada, as chances de que a leitura do texto valerá a pena são maiores.

3 – Misture um pouco os estilos

Não leia sempre textos similares, sobre os mesmos conteúdos e mesmos autores. Dê uma variada por diversos estilos de escrita e temas diferentes do que você está acostumado. Não fique muito tempo seguido preso em um tema e tente intercalar suas leituras com assuntos novos e variados.

A mente humana só é capaz de absorver informações sobre determinado conteúdo por aproximadamente 40 minutos. Após esse tempo ela começa a esquecer o que aprendeu. Para continuar a aprendendo, as pessoas devem trocar de tema e ver coisas diferentes do que estavam vendo.

Essa é a razão de escolas intercalarem matérias opostas para seus alunos. Uma aula de matemática é seguida por uma de biologia, por exemplo e, depois, por uma de português. Ajuda no processo cognitivo.

4 – Visualize o que você está lendo

À medida em que você vai lendo um texto, procure visualizar na sua cabeça o que tem sido dito e faça um resumo mental. Isso ajudará no processamento do texto e na sua melhor compreensão.

Procure, também, fazer perguntas para si mesmo sobre o texto e, se for um artigo online, fazer comentários ao autor sobre os pontos que você mais gostou.

Isso te dará um senso de necessidade de ter que compreender de fato o que foi escrito e garantirá que o conteúdo não fique apenas vago na sua cabeça.

5 – Entenda seu estilo de aprendizado

Você prefere aprender ouvindo ou lendo? Prefere que alguém te ensine, ou prefere correr atrás da educação por si só? Livros físicos ou virtuais?

Descubra qual o seu estilo de aprendizado e procure focar em meios que se adequem melhor a ele.

Se você aprende mais ouvindo do que lendo, por exemplo, opte por dar preferência a canais como podcasts, audiolivros, vídeos, ou, até mesmo, utilizar aplicativos que leem o texto para você (text-to-speech).

Para mim, a melhor forma de digerir um livro é através de audiobooks. Com eles, posso aprender no trânsito ou enquanto faço exercícios, tornando meu dia muito mais produtivo. É possível terminar um livro de centenas de páginas em 1 dia.

6 – Limpe-se

Não deixe seu repositório de informações se tornar desorganizado e fugir do seu controle. Mantenha sempre um espaço limpo e atualizado, no qual você irá organizar suas fontes de conteúdo. E, sobretudo, livre-se de artigos e livros que não são relevantes.

Sabe quando um animal enterra suas fezes após “ir ao banheiro”? Ele faz isso pois não quer conviver em um ambiente com muita sujeira. Então, a ideia aqui é a mesma. Você não quer estar cercado de pessoas ou lugares que só fornecem conteúdo ruim. Livre-se deles e enterre-os para sempre.

Tem mais alguma técnica para acrescentar? Compartilhe conosco nos comentários abaixo, e vamos nos desenvolver juntos!

Author: Daniel Scott

Economista, Administrador, Consultor, Professor e Escritor. Busco democratizar a educação sobre empreendedorismo e administração através da produção de conteúdos informativos e de qualidade.