Disciplina como potencializador de resultados

Um dos aspectos mais valorizados pelo Ser Humano é a liberdade. Sentir-se livre para fazer o que quiser, sempre foi uma das buscas mais dramáticas da humanidade. Ocorre que toda liberdade possui uma “escravidão” que corresponde a ela. Você pode ficar livre de escovar os dentes todos os dias, mas ficará escravo das cáries, ou pode ser um escravo da escova de dentes e se ver livre de cáries. Mas você não pode estar livre da escova de dentes e livre de cáries. Esse tipo de liberdade absoluta não existe porque todas as ações têm consequências a curto, médio ou longo prazo.



O pensador Americano Jim Rohn costuma dizer que o fracasso não é um evento isolado, uma catástrofe inesperada e sim o resultado inevitável de um acúmulo de decisões e pensamentos errados. O fracasso não seria mais nada do que uma sequência de erros de interpretação da realidade e de situações pela qual passamos, e repetimos diariamente. Horas desperdiçadas em redes sociais aqui, fofocas ali, períodos longos assistindo a programas de televisão que nada acrescentam, etc, aparentemente não possuem um efeito tão prejudicial assim, mas ao longo do tempo essa sequência de erros pode trazer consequências desastrosas. Lógica semelhante as pessoas que consomem alimentos processados artificialmente e com grande teor calórico: afinal o que alguns biscoitos recheados todos os dias podem fazer de mal?

Os efeitos de uma vida com “plena liberdade”, atrelada a pequenos hábitos prejudiciais raramente são imediatos. Pelo contrário, eles se acumulam até que finalmente a “bomba” estoura e devemos pagar pelo preço das decisões erradas que quando foram tomadas pareciam pouco importantes, mas que somadas com o passar do tempo, transformam-se numa inevitável tragédia. No curto prazo, esses pequenos erros são sutis e parecem não causar nenhum efeito negativo e nem que estamos sendo prejudicados por eles. E como nada acontece imediatamente, vamos tocando a vida e mantendo esses hábitos negativos que na “superfície” parece estar tudo bem, mas nas “entranhas” da terra, existe a formação de um verdadeiro “terremoto”. Como não aconteceu nenhuma tragédia ontem, achamos que hoje também não vai ocorrer nada e acabamos por repetir os mesmos erros e os mesmos pensamentos. O fracasso raramente emite alertas de forma antecipada.

Felizmente, podermos transformar essa mesma “metodologia” do fracasso em sucesso. Basta substituirmos os pequenos hábitos ruins por hábitos positivos. Através de um pouco de autodisciplina praticada todos os dias. Quando nos alimentamos bem, praticamos exercícios físicos, somos mais organizados e investimos em uma leitura mais seletiva, os efeitos são imediatamente visíveis.

A autodisciplina implica em retardar uma gratificação imediata em prol de uma recompensa maior a longo prazo ou ter a capacidade de suportar algo desagradável a curto prazo em prol de uma recompensa maior a longo prazo. Por exemplo, você pode se levantar bem cedo e praticar exercícios físicos todos os dias para poder estar em plena forma daqui a alguns meses.

Lembre-se disso:  troque os “inofensivos” hábitos negativos pelos pequenos acertos diários, e com o passar do tempo isso se transformará numa grande onda de prosperidade na sua vida.



Marcações: