Greve dos Caminhoneiros – Você irá pagar a conta

Durante a semana passada fiquei surpreso com as justificativas dadas pela maioria da população em apoio a greve dos caminhoneiros. Antes que você me pergunte:

– Alan, você é contra os direitos do trabalhador?

Meu caro, acredito que o direito a greve é inalienável. Contudo, é algo que os caminhoneiros deveriam resolver diretamente com seus contratantes e não parando um país inteiro.



É necessário entender que o Estado é bancado pela população e aumentar os custos em algum lugar ou cortar a receita de outro terá impacto direto no bolso de cada cidadão, não existe mágica e nem almoço grátis.

O ministro da fazenda, Eduardo Guardia, afirmou nesta segunda-feira que a redução do preço do diesel terá um custo de 9,5 bilhões de reais no Orçamento deste ano, que será coberto por uma sobra de 5,7 bilhões de reais que o governo tem em relação à meta de déficit primário, além de um corte de despesas de 3,8 bilhões de reais.

Para defendermos ou irmos contra a manifestação é necessário entender o processo que levou a esse estado de coisas.

Primeiramente vamos falar do ouro negro, o petróleo:

Desde 2016 a cotação do petróleo vem atravessando uma forte alta. Após ter encontrado sua mínima próximo aos 30 dólares o barril, em março de 2016, a cotação do petróleo apresentou uma alta superior a 100% e estava sendo negociado próximo de 70 dólares. Na imagem abaixo podemos ver claramente essa trajetória de alta:

Lata Petroleo - Greve dos Caminhoneiros

A Petrobrás é uma empresa de capital aberto que possui acionistas e a geração de lucro é o básico do que se espera dela. Uma política de paridade de preços, ou seja, vender seu produto pelo o que ele vale faz parte de qualquer pensamento lógico.

Durante o governo Dilma essa lógica não foi respeitada, havia a prática do represamento dos preços com a oposição argumentando que era uma maquiagem para manter a inflação baixa de forma artificial – já os aliados defendiam que pelo fato de o petróleo ser um insumo base para toda a economia ele deveria ter seu preço controlado como forma de manutenção do bem-estar social.

Independente de minha concordância ou não com qualquer uma das hipóteses, a segunda me parece bastante esdruxula, se desejam que a Petrobras sirva como uma instituição de governo qual foi o motivo de abrirem seu capital? Como empresa aberta o presidente da companhia tem dever para com seus acionistas e quando os acionistas passam a verificar que o lucro não é o principal objetivo da companhia veja o que acontece:

Greve dos Caminhoneeiros - Petroleo

Não podemos esquecer do dólar:

Como já alertado aqui no blog existe um temor imenso por parte dos investidores na ocorrência de altas adicionais nos juros americanos, adicionado as incertezas sobre os efeitos da guerra comercial travada por Donald Trump e para piorar a treta, temos as incertezas sobre as eleições no Brasil.

O gráfico do Dollar Index, que mostra a tendência global do dólar versus uma cesta de moedas de seis moedas (euro, o iene japonês, franco suíço, dólar canadense, coroa sueca e da libra esterlina) mostra uma forte alta.

Dolar - greve dos caminhoneiros

O dólar subiu em relação a estas moedas também, não só contra o real brasileiro.Como as commodities são precificadas em dólar o custo de aquisição das mesmas aumenta pela mera e simples desvalorização do real frente ao dólar. Agora imagine o petróleo e o dólar subindo ao mesmo tempo!

O Brasil pode até paralisar, mas seus investimentos não. Queremos te ajudar a fazer dinheiro toda semana e por isso abrimos, por tempo limitado, um teste de 10 dias da nossa ferramenta Trader Radar.    Quero Saber mais

Dos tributos

Já verificamos que o preço do combustível no Brasil vem sendo pressionado pelo aumento do preço da matéria prima (petróleo) e da cotação do dólar. Contudo, não podemos esquecer da fome irrefreável do Estado em nos cobrar impostos. Ou seja, o combustível possui duas variáveis: O preço que a Petrobras cobra e os impostos.



O dólar subiu em relação a estas moedas também, não só contra o real brasileiro.Como as commodities são precificadas em dólar o custo de aquisição das mesmas aumenta pela mera e simples desvalorização do real frente ao dólar. Agora imagine o petróleo e o dólar subindo ao mesmo tempo! O Brasil pode até paralisar, mas seus investimentos não. Queremos te ajudar a fazer dinheiro toda semana e por isso abrimos, por tempo limitado, um teste de 10 dias da nossa ferramenta Trader Radar. Quero Saber mais Dos tributos Já verificamos que o preço do combustível no Brasil vem sendo pressionado pelo aumento do preço da matéria prima (petróleo) e da cotação do dólar. Contudo, não podemos esquecer da fome irrefreável do Estado em nos cobrar impostos. Ou seja, o combustível possui duas variáveis: O preço que a Petrobras cobra e os impostos.

A parte majoritária do preço dos combustíveis advém da cobrança de tributos. Na imagem acima podemos ver como o preço do combustível é construído. Somente CIDE, PIS/PASEP, COFINS e ICMS representam 45% do preço final praticado para o consumidor.

Do monopólio

Não, eu não estou falando do monopólio em relação a extração do petróleo e sim do refino. O refino continua sendo de controle estatal (apesar das empresas privadas poderem atuar) Contudo, o gigantismo da estatal e a ingerência do governo por trás dela são alguns dos fatores que outras empresas levam em consideração antes de tentar disputar o mercado. Isso acabou engessando a entrada de novos fornecedores de combustível ao longo dos anos.

Uma privatização do setor , feita de maneira correta, seria uma das formas de gerar maior competitividade no setor, ou seja, geraria a entrega de melhores preços ao consumidor final.

Como visto, a culpa da insatisfação dos caminhoneiros não é da Petrobras, e sim de uma combinação de aumento nos preços da cotação do petróleo e do dólar, de um Estado inchado e de desejos populistas da sociedade que elege maus governantes.