Vivemos numa era em que as distrações estão presentes em nossa rotina de forma bastante intensa.

Quem nunca se viu numa situação em que precisava se concentrar para fechar um cálculo importante ou construir uma apresentação para uma reunião de diretoria e teve muita dificuldade, pois os pensamentos estavam no vencimento do cartão de crédito, no planejamento da viagem do fim de semana, ou mesmo nas mensagens que recebeu no whatsapp?

//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js



O ambiente de trabalho é naturalmente estressante, as pressões por resultados tendem apenas a aumentar e a quantidade de informações que nos impactam a todo o momento parecem não ter fim. Como conseguir fazer o que precisa ser feito nesse contexto? Como não entrar em pânico? Mindfullness é uma técnica que ajuda a resolver esse problema.

Inteligência emocional e atenção plena

Recentemente, publiquei aqui neste mesmo portal um artigo a respeito de inteligência emocional que foi sucesso de audiência. Recebi inúmeras mensagens comentando e querendo saber mais do assunto.

É uma das principais habilidades de gestores de sucesso no mundo atual, principalmente em virtude da facilidade de acesso que as pessoas têm às informações. É preciso desenvolver a competência de lidar com gente cujos anseios e meios de incentivo são os mais distintos que se possa imaginar.

Então, além das preocupações típicas que o líder sempre teve relacionadas ao resultado de suas operações, ele está sendo requerido também nessa perspectiva que, em última análise, visa o desenvolvimento contínuo dos colaboradores e a estruturação da equipe na busca pelos objetivos propostos.

Com todas essas atribuições, muitas vezes há a dificuldade de atingir picos de performance, que são potencializados em momentos de quietude, numa realidade oposta às constantes perturbações que sofremos de alertas de mensagens, pessoas querendo falar, prazos se esgotando. Às vezes, precisamos nos desligar de tudo e estabelecer uma conexão apenas com nosso interior.

O mercado exige que os líderes sejam capazes de realizar transformações: desde uma solução inovadora até a elaboração de novas estratégias de negócio. Isso é praticamente impossível se os problemas não forem tratados com todo o foco que merecem. Daí a necessidade de atenção plena.

É aqui que essas duas competências se encontram. Quando tomamos decisões mantendo nosso modelo mental acelerado, aumentam as chances de conseguirmos apenas os mesmos resultados. Mas, se estamos tratando de inovação, do desenvolvimento de pessoas com diferentes aspirações e de planos não usuais para o negócio, precisamos buscar outras formas de agir.

//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js




Uma incapacidade momentânea de elaborar respostas e ações efetivas pode gerar quadros de medo ou pânico. Nessas situações, é comum fugirmos do problema, esperando que ele se resolva sozinho, o que vai totalmente de encontro ao que se espera da liderança, que é assumir as responsabilidades. O medo paralisa até os talentosos e experientes.

Por isso a capacidade de se focar é tão importante. E é preciso ter inteligência emocional para conseguir. Quando não damos atenção real às questões, dificilmente atingimos os resultados que esperamos.

Mindfulness

Nesse contexto, uma técnica para trabalhar melhor e conseguir o foco que precisamos é fortemente indicada. Em tradução livre, mindfulness seria algo como a plenitude da mente. Sugere que nossos pensamentos estarão 100% atentos ao que é de interesse. Parece trivial, mas, como dito anteriormente, é algo muito difícil de conseguir principalmente em virtude do excesso de distrações.

Nossa mente escapa, perdemos contato com nosso corpo e, em pouco tempo ficamos absortos em pensamentos obsessivos sobre algo que acabou de acontecer ou nos preocupamos com o futuro. Isso nos traz importantes quadros de ansiedade.

A técnica de mindfulness consiste em buscar a clareza da mente por meio de meditação. Suas origens estão relacionadas à práticas budistas muito antigas. Mas apenas no ano de 1979, um médico de Jon Kabat-Zinn, começou a utilizar o mindfulness prática terapêutica. Em 2001, Mark Williams, John Teasdale e Zindel Segal fizeram uma atualização e desenvolveram uma terapia cognitiva, tendo o mindfulness como base.

Visa buscar a atenção plena, que é a capacidade humana de estar totalmente presente. Completamente envolvidos e cientes de onde estamos e do que estamos fazendo, sem nos sobrecarregar com o que está acontecendo ao nosso redor. Não importa o quão longe formos em pensamentos. Por meio das práticas de atenção plena podemos voltar para onde queremos e focar no que é preciso.

Para saber, de fato, o que é mindfulness, o melhor caminho é tentar. Com o tempo, você encontrará pequenas variações no significado de livros, artigos, filmes, músicas, podcasts e vídeos. Isso porque a sua capacidade de absorver informações de interesse aumentará.

Já leu um artigo como este e quando estava na metade percebeu que não se lembrava do começo? É um exemplo simples de situação que pode ser resolvida com a técnica!

Benefícios e aplicações corporativas

Os ganhos observados com a prática são inúmeros. Pessoas que conseguem desenvolver a inteligência emocional e a atenção plena se diferenciam das demais. Elas se destacam no mar de gente que está se afogando num ciclo nocivo de consumo e processamento de informações irrelevantes.

E, é claro, se há benefício individual, as empresas começam a perceber que a adoção do mindfulness por seus gestores pode trazer vantagens competitivas. Quem busca por esse conhecimento demonstra mais autocontrole, tolerância e serenidade. Consegue resolver problemas complexos de formas mais simples e tem maior capacidade de gerar engajamento.

Não à toa, empresas como o Google, incentivam a prática. O livro “Search Inside Yourself” (“Busque Dentro de Você”, na versão em português) de Chade-Meng Tan, mostra como o mindfulness tem sido aplicado com sucesso pelos funcionários dessa empresa, por meio de um projeto de desenvolvimento pessoal criado pelo autor.

Há, atualmente, a convicção de que a inteligência emocional e a capacidade de dar foco são importantes diferenciais demonstrados por pessoas bem-sucedidas. A prática do mindfulness pode ser o que você precisa para conseguir se destacar como gestor ou mesmo se preparar para chegar lá. E também algo que as empresas podem buscar visando o desenvolvimento de suas lideranças.

Quer levar as práticas mais modernas de Gente e Gestão para sua empresa?

www.raidhoconsultoria.com

LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/msantiagoneto/

Instagram: @msantiagoneto

Twitter: @msantiagoneto

Facebook: https://www.facebook.com/msantiagoneto

Nos treinamentos e programas que a RAIDHO desenvolve junto aos nossos clientes, ensinamos a trilha para se alcançar o sucesso por meio da prática do mindfulness. São estratégias para conseguir dar foco ao que é essencial, gerenciar o tempo, buscar o autoconhecimento, meditação e a aplicação real dos benefícios da atenção plena.

//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js



Author: Matheus Santiago

Consultor de Gente e Gestão na RAIDHO Consultoria. Atuo em projetos que integrem o crescimento de negócios ao desenvolvimento de pessoas. Graduado em Administração pela UFMG, com especialização em Gestão de Projetos pelo IETEC, Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) e Mentor de Startups na Techmall.