Esse é o melhor “não-conselho” que você ouvirá na vida

Você muito provavelmente não deve reconhecer esse senhor pela sua foto, mas talvez já tenha ouvido falar nele. E, com certeza, já assistiu algum dos seus trabalhos. Estou falando do David Attenborough, naturalista britânico de 92 anos que, durante sua carreira de 6 décadas, produziu mais de 100 documentários para a rede BBC.

Sabe aqueles documentários que mostram os mínimos detalhes dos animais na natureza que você fica louco se perguntando como que foram filmados? Pois bem, esse é o responsável.



Recentemente estava assistindo uma entrevista e ele foi perguntado qual conselho de carreira poderia dar para os mais jovens. Imediatamente respondeu:

“Quem sou eu? Seria muita presunção da minha parte dar algum conselho para alguém. Ainda tenho muito a estudar e a aprender antes de poder dar algum conselho!”

Com mais de 90 anos e uma das carreiras de maior sucesso na televisão britânica (e talvez mundial), essa humildade é impressionante! Para você ter uma noção da dimensão de sua relevância,  ele já foi eleito um ícone vivo do Reino Unido, superando várias celebridades, como Paul MacCartney, Morrissey e David Bowie.

Há dois anos, fez parte da equipe que lançou o documentário Planet Earth 2, que superou todos os recordes possíveis de audiência no gênero. Aliás, se você não assistiu, recomendo fortemente. Veja o trailer aqui.

Ao ler essa frase dele, imediatamente senti como se fosse um forte puxão de orelha. O que mais se vê hoje em dia é gente nas redes sociais dando palpite em tudo, mesmo sem sequer se aprofundar melhor no assunto.

Eu visto a carapuça

Me incluo nessa turma dos palpiteiros profissionais aí. Mesmo tendo apenas 1/3 da idade dele, às vezes me vejo emitindo opiniões sobre coisas que não pesquisei afundo. É claro que todos têm direito a darem suas opiniões, mas o mínimo que alguém pode fazer é ter um certo embasamento sobre o que está falando.

Com certeza procuro ao máximo evitar isso. Na maioria das vezes, apenas apresento perspectivas alternativas para as pessoas ponderarem suas decisões de vida. Com isso, frequentemente acabo falando mais do que deveria.

Claro que, como educador, me vejo numa área nebulosa entre o que de fato é apresentar a matéria a ser aprendida e o que é dar opiniões pessoais minhas. Isso é mais difícil do que parece. Entretanto, tenho certeza que é algo que vamos adquirindo com tempo.

Mas isso me fez repensar minha forma de agir. Ser mais humilde, estudar mais e procurar entender melhor o lado das outras pessoas. Não custa nada, pelo contrário, só tem a nos beneficiar no longo prazo. Se pessoas mais experientes que eu não estão certas 100% das vezes, com certeza também não estou. E você também não!

A humildade, inclusive, é uma das fortes características de pessoas de sucesso que tiveram uma carreira tão longeva quanto à do naturalista. Reconhecer que você não é melhor que ninguém, mesmo sendo destaque na sua profissão, requer muita segurança e honradez.

Tenho algo claro na minha cabeça: não dá para ter uma vida feliz e de sucesso sem uma mente disposta a aprender e reconhecer seus pontos fracos. E você, concorda com isso?

David talvez não tenha percebido. Mas só essa atitude dele já nos ensina mais do que muitos dos conselhos que ele poderia dar.



Botão - Negócios com Café