O que você precisa saber para negociar seu salário

Negociar salário é sempre uma grande dificuldade para qualquer um. Discutir questões financeiras ainda é um tabu, especialmente no Brasil. Mais complexo ainda é saber como mostrar que você vale mais do que recebe. Entretanto, existem formas efetivas para se obter uma chance maior de sucesso.

A seguir estão algumas táticas que você deve ter mente na próxima vez que for negociar seu salário. Deixe um comentário abaixo se tiver mais alguma dica!



1 – Nunca discuta o salário antes do final da entrevista

Quando você vai a uma entrevista de emprego, seu objetivo é não só conquistar o emprego, como também conseguir o máximo de salário possível. Para fazer isso, é necessário convencer o entrevistador de que você tem as habilidades necessárias para a função que será exercida e de que a empresa sairá perdendo se não te contratar.

Portanto, se falar sobre salário antes que esteja no momento adequado, o entrevistador poderá nem querer continuar a entrevista. Afinal, ele ainda não está convencido de que precisa te contratar.

Algumas vezes, o entrevistador poderá até te perguntar no começo da entrevista. Se isso acontecer, você precisa adiar essa conversa. Um jeito bom é falando algo como: “ok, mas eu preciso primeiro entender melhor o que o trabalho envolve”.

 

2 – Não esconda suas fraquezas

Não adianta tentar esconder, seu empregador sempre irá detectar suas fraquezas e trazê-las para a discussão. Portanto, faça isso antes dele. Dessa forma, você estará no controle do assunto, em vez de assumir uma postura passiva.

Fale o que você está fazendo para resolvê-las, tentando adequar para o contexto do seu trabalho. Aborde como suas perspectivas externas e suas experiências podem se tornar um ativo importante para a empresa.

Tente transformar as fraquezas em pontos positivos. Dê exemplos de conquistas realizadas e casos reais onde essas fraquezas foram úteis para você.

 

3 – Descubra o máximo que o empresário está disposto a pagar

Todo empregador tem um valor máximo pelo qual está disposto a pagar pelo seu funcionário. Muito provavelmente seu salário está abaixo desse valor, já que, se ele estivesse disposto a pagar menos do que você ganha, você certamente estaria na rua.

Portanto, as chances são de que há uma margem para negociar um aumento. Por outro lado, se você pedir um valor superior ao máximo do empregador, poderá ser perigoso, pois nenhuma empresa gosta de ficar convencendo o funcionário a trabalhar nela.

Uma forma de descobrir o quanto eles estariam dispostos a pagar é o bom e velho benchmarking. Ou seja, comparar o seu salário com o de outros profissionais com características parecidas no mercado. Isso nem sempre é fácil de fazer, mas você pode ter uma boa estimativa utilizando o site LoveMondays. Já conhece?

 

4 – Nunca seja o primeiro a falar sobre o salário

Sabe quando você pergunta o preço para um vendedor, ele te dá a resposta, você oferece uma contra-proposta menor e vocês acabam fecham no valor intermediário? Pois bem, o primeiro a falar o valor acaba sempre perdendo. Com o salário é a mesma coisa.

Empregadores tentarão fazer você falar o salário que deseja, para apresentarem uma contra-oferta. Portanto, ao te perguntarem isso, responda algo como: “bom, você que criou a posição, eu estou interessado em saber o que tem em mente”.



5 – Estabeleça uma faixa salarial

Um dos grandes erros cometidos por está negociando um aumento é definir um valor fixo para o salário que deseja. Dessa forma, ou você sairá perdendo uma boa oportunidade (caso o valor estipulado seja menor do que o máximo potencial) ou poderá pedir mais do que deveria, e sair com um prejuízo maior ainda.

Portanto, uma dica boa é: verifique a faixa salarial do seu mercado e estabeleça uma faixa maior. Vou dar um exemplo:

Se os salários do seu mercado variam entre R$ 5 e 6 mil por mês, uma boa ideia é você falar que deseja um salário entre R$ 5,5 e 6,5 mil. Dessa forma, mesmo que o empregador pegue o valor mínimo pedido, você ainda estará em uma boa posição.

Há ainda a chance de você conseguir chegar no máximo do seu mercado, caso o empregador decida pagar a média da faixa que você estipulou (R$ 6 mil). Dessa forma, o empregador ainda fica com a sensação de que saiu “ganhando”.

É importante ter em mente que o máximo que um empregador está disposto a pagar varia muito de empresa para empresa. Portanto, ao estabelecer uma faixa salarial há sempre mais margem para negociação do que tentar acertar em cheio algum valor fixo.

 

Por fim, mas não menos importante: valorize-se! Se você não for o primeiro a valorizar o próprio trabalho, ninguém mais o fará. Não tenha vergonha de mostrar o seu valor nem de ressaltar suas realizações. Seja confiante e verá portas se abrindo e pessoas sorrindo para você.

Lembre-se: você sempre deve estar no controle da situação.

Negociar o salário nem sempre é uma tarefa fácil, especialmente se você estiver ansioso ou quiser correr logo para o pote. Um movimento errado por estragar todas as suas expectativas de descolar uma graninha a mais todo final do mês.




Pingado Semanal

Cadastre-se e receba semanalmente o melhor conteúdo sobre negócios do Brasil.

[yikes-mailchimp form=”1″]