XP Investimentos para Pessoa Jurídica

Você provavelmente já sabe que precisa investir enquanto pessoa física. Mas o que você faz com o dinheiro da sua empresa? Onde aplicar o capital de giro da sua empresa ou a reserva para futuros investimentos no negócio?

[agg-ad id=”2409″ align=”none”]

Antes de tudo, uma regra que sempre temos que ter em mente: não ter dinheiro investido não se trata de “deixar de ganhar”, mas sim de perder dinheiro. Nunca podemos esquecer que a inflação está sempre corroendo e desvalorizando aquilo que temos em conta, então o mínimo que temos de fazer é buscar neutralizá-la.

Outra questão importante que devemos lembrar é que sempre será mais inteligente se programar e poupar para um gasto futuro (como o 13º salário dos funcionários por exemplo) do que recorrer a empréstimos bancários, que carregam, em geral, juros altíssimos.

Seja, então, por uma questão de planejamento ou simplesmente para não ver seu patrimônio corroído pela inflação, investir é um imperativo para as pessoas jurídicas assim como para as pessoas físicas.

Mas qual seria o melhor investimento para pessoas jurídicas?

Essa resposta, feliz ou infelizmente, não existe. Quando se fala de investimentos, nunca existirá uma receita de bolo, mas algumas questões podem ser citadas no caso das pessoas jurídicas.

2. Dê preferencia pela liquidez

Quando falamos de liquidez no universo dos investimentos, falamos do tempo que demorará para aquele dinheiro estar à sua disposição, uma vez que você solicite o resgate. Se esse tempo é maior, sua liquidez é menor.

Para as empresas, a liquidez torna-se muito importante, já que o negócio pode exigir investimentos imprevisíveis: seja uma demanda trabalhista, uma oportunidade de compra de ativo ou um reparo imperativo no escritório.

Além disso, não faz muito sentido travar valores por 3, 5 anos, sem considerar que esse dinheiro poderia ser crucial para a expansão dos seus negócios.

2. Busque carteiras conservadoras ou moderadas

Pessoalmente, sou um investidor moderado/agressivo. Mas tenho de fazer essa ressalva no caso de pessoas jurídicas. Explico: investimentos agressivos são indicados quando temos um amplo horizonte de investimentos, ou seja, quando pretendemos ficar com o dinheiro investido por 12, 24 meses…

Quando falamos de empresas, sabemos que os investimentos são feitos muito mais para que o dinheiro não fique parado. Afinal, se há oportunidade de investir na própria empresa (e as contas de payback e taxa interna de retorno batem), escolheremos investir no nosso próprio negócio.

[agg-ad id=”2409″ align=”none”]

Sendo assim, como podemos ter de sacar o dinheiro em 2 meses ou até 2 dias, investimentos agressivos tendem a ser menos indicados, por possuírem maiores flutuações.

Já imaginou colocar um valor para pagar o 13º dos funcionários e acabar tendo rentabilidade negativa no período? Não faz sentido.

3. Fique atento às regras de tributação

Outra colocação importante é que existem regras e benefícios para pessoas físicas que não se aplicam às pessoas jurídicas. É o caso dos rendimentos sobre LCI e LCA, que são isentos para pessoas físicas e não o são para as jurídicas.

Da mesma forma, as operações comuns em ações cujo ganho líquido auferido não ultrapasse os R$ 20 mil em um único mês tem os rendimentos isentos de imposto de renda somente para pessoas físicas.

Assim, essas modalidades de investimentos, em especial as LCI e LCA, são mais indicadas para pessoas físicas, que possuirão a isenção do imposto de renda sobre os rendimentos.

4. Não tenha preguiça de abrir uma conta em uma corretora

Diferente do que ocorre com as pessoas físicas, abrir conta de pessoa jurídica em uma corretora é um processo um pouco mais burocrático. Em geral, solicitam-se os seguintes documentos:

  • Cópia do Contrato Social e última alteração contratual consolidada;
  • Cópia de Demonstrativo de Resultado (DRE);
  • Cópia do Balanço Patrimonial;
  • Cópias do RG e do CPF dos sócios.

Na XP Investimentos, nós, assessores, auxiliamos nossos clientes durante todo esse processo, o que facilita bastante seu trabalho.

Mas seja qual for a corretora de sua preferência, não se deixe ser vencido pela preguiça! Desbancarizar os seus investimentos faz muita diferença, já que os bancos seguem muito mais preocupados em te dar crédito do que receber seus investimentos para alocação.

Lembre-se: ser vencido pela preguiça é, nesse caso, (como geralmente é na vida) deixar dinheiro na mesa.

Bem, agora você já sabe: investir é preciso!

Não deixe de procurar agora mesmo um assessor ou alguma corretora para abrir sua conta e começar seus investimentos!

[agg-ad id=”2409″ align=”none”]